HISTÓRICO DA ESCOLA SÃO PAULO

ONTEM, palavra que resume um passado: “mundo de luz e sombras que tenta materializar imagens no presente”, para marcar o ponto de início de tudo aquilo que foi a Escola São Paulo.

Estava para ser deflagrada a 1ª Guerra Mundial quando, a 02 de fevereiro de 1913, um jovem de 29 anos preparava uma “guerra” cujas armas seriam os livros, a pena, o lápis e o papel.

Assim nasceu, em Muriaé, o ATHENEU SÃO PAULO. Seu fundador: o Dr, Mário de Ururahy Macedo, odontólogo pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro (1909), e Bacharel em Ciências Físicas e Matemáticas pela Escola Livre de Engenharia do Rio de Janeiro.

Dois cursos teve, logo no início, o ATHENEU: o Primário e o Fundamental, acrescentando-se a esses cursos a Educação Física, Cívica e Religiosa. Já por esse tempo, o ATHENEU aceitava alunos internos.

O internato, aliado ao externato, só veio a se extinguir no então Colégio São Paulo, quando era diretor o Cônego Ivo Sebastião da Cunha.

Em 1920, o ATHENEU já administrava os seguintes cursos: Primário, Ginasial, Comercial, de Línguas (Francês e Inglês), Datilografia e Estenografia. Também funcionava no ATHENEU a Escola de Instrução Militar, que preparava os reservistas para o Exército Nacional.

Educação Física, Cívica e Religiosa tiveram sempre o seu lugar de destaque no ATHENEU. A Música, sempre acompanhando todas as festividades nos Grêmios, teatros, datas históricas e nacionais, tinha o seu ponto alto no ensino dos Hinos Pátrios e canções folclóricas. O jornal “ATHENEU” era órgão dos alunos, que se dedicavam a escrever artigos para ele.

O Grêmio, que funcionou no ATHENEU desde que essa Escola passou a existir, denominava-se Grêmio Lítero-Esportivo “José de Alencar”. Com reuniões bem preparadas pela diretoria, era grande a vivência dessa entidade, que deixou profundas lembranças em todos os que dela participaram.

Muito ainda poder-se-ia falar dos primórdios de nossa Escola São Paulo. Podemos, no entanto, afirmar: “O fruto de todo o trabalho feito com idealismo tem um sabor sempre renovado através dos tempos”, quando os sucessores conservam os mesmos ideais, preconcebidos no coração e no espírito daquele que criou esse educandário, a nossa ESCOLA SÃO PAULO.

Voltar